domingo, 20 de novembro de 2016

Como colocar um banner na sidebar do Blogger

Você sabe como colocar um banner na sidebar do Blogger? Você tem interesse em utilizar os serviços e as facilidades que o Blogger oferece?

Se respondeu sim a segunda pergunta, ou não à primeira, então este artigo é para você.

Tenho visto muitos blogs de sucesso que usam a tecnologia blogger. De fato, é possível fazer um excelente trabalho com as ferramentas disponíveis.

Hoje vamos ver como colocar e ajustar um banner na sidebar.


Tela inicial do blogger


Vamos começar por aqui: para inserir esta foto (acima) e deixá-la alinhada é necessário que ela tenha o tamanho correto (580 pixels de largura). Uma vez inserida, clique em "Alinhar a esquerda" (por padrão o Blogger alinha ao centro).

Observe o botão indicado na imagem com uma seta vermelha. Clique nele.


Lista de acesso às funcionalidades










Para inserir imagens (banners) na sidebar, cabeçalho ou footer (rodapé) devemos acessar a página de "Layout".


Página de Layout

















Desça e localize "Adicionar Gadgets".


Imagem da Sidebar com os Gadgets já instalados


















Clique em Adicionar um Gadget.


Ferramentas do Blogger



























Desça até localizar "Imagens".




























Clique no botão + em "Imagem".


Página de Inserção de Imagens



























O título e a legenda são opcionais. Recomento ambos se for um banner. Link: endereço do site de origem da propaganda ou artigo. Use, de preferência, imagens de seu computador. Imagens da internet podem ter direitos autorais. 

E, agora, o passo mais importante! Marque a caixa "Reduzir para ajustar".
O Blogger ajustará automaticamente a imagem à largura da sidebar.

Clique em Salvar.

De volta à pagina de Layout, clique em "Salvar organização". Depois em "Visualizar Blog".

Caso necessário, faça ajustes até ficar satisfeito.

Assista o vídeo e, em caso de dúvidas, deixe sua pergunta nos comentários.


video

Para ver o vídeo em HD clique aqui.



























Qual o valor de uma pessoa

Um famoso palestrante começou um seminário numa sala com 200 pessoas, segurando uma nota de R$ 100,00.

Ele perguntou:
“Quem de vocês quer esta nota de R$ 100,00?”
Todos ergueram a mão...

Então ele disse:
“Darei esta nota a um de vocês esta noite, mas primeiro, deixem-me fazer isto...” Então, ele amassou totalmente a nota. 

E perguntou outra vez: “Quem ainda quer esta nota?” 

As mãos continuavam erguidas. E continuou: “E se eu fizer isso...” Deixou a nota cair no chão, começou a pisá-la e esfregá-la. Depois, pegou a nota, agora já imunda e amassada e perguntou: “E agora?” “Quem ainda vai querer esta nota de R$ 100,00?” 


Todas as mãos voltaram a se erguer. O palestrante voltou-se para a platéia e disse que lhes explicaria o seguinte: 

“Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês continuaram a querer esta nota, porque ela não perde o valor.
Esta situação também acontece conosco. Muitas vezes, em nossas vidas, somos amassados, pisoteados e ficamos nos sentindo sem importância. Mas não importa, jamais perderemos o nosso valor. Sujos ou limpos, amassados ou inteiros, magros ou gordos, altos ou baixos, nada disso importa! Nada disso altera a importância que temos. O preço de nossas vidas, não é pelo que aparentamos ser, mas pelo que fizemos e sabemos.”

Agora, reflita bem e procure em sua memória:

Nomeie as 5 pessoas mais ricas do mundo.
Nomeie as 5 últimas vencedoras do concurso de Miss Universo.
Nomeie 10 vencedores do prêmio Nobel.
Nomeie os 5 últimos vencedores do prêmio Oscar, como melhores atores ou atrizes.

Como vai? Mal, né? Difícil de lembrar? Não se preocupe. Ninguém de nós se lembra dos melhores de ontem.
Os aplausos vão-se embora. Os troféus ficam cheios de pó. Os vencedores são esquecidos.

Agora faça o seguinte:

Nomeie 3 professores que te ajudaram na tua verdadeira formação.
Nomeie 3 amigos que já te ajudaram nos momentos difíceis.
Pense em algumas pessoas que te fizeram sentir alguém especial.
Nomeie 5 pessoas com quem transcorres o teu tempo.


Como vai? Melhor, não é verdade?

As pessoas que marcam a nossa vida não são as que têm as melhores credenciais, com mais dinheiro, ou os melhores prêmios.
São aquelas que se preocupam conosco, que cuidam de nós, aquelas que, de algum modo, estão ao nosso lado.

Desconheço autoria.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Mais um artigo sobre a péssima qualidade dos serviços dos Correios

Hoje, 18 de Novembro de 2016, recebi um boleto enviado pelo Correio. Até aí nada demais. Porém...


Ao ver a data do carimbo no envelope... Pasmem! O boleto foi enviado no dia 01 de Novembro!


Com data de vencimento para o dia 10.



O outro carimbo está inelegível.

Poder-se-ia argumentar sobre demanda (se fosse em Dezembro), sobre distância (o Brasil é grande), mas estamos em época de demanda normal e, de Encantado (origem) a Roca Sales (destino), são apenas 6 KM de distância, centro a centro. Apenas o rio Taquari entre elas.

Isto já aconteceu comigo. Em 2001 o Banco do Brasil enviou-me um boleto com prazo de 5 dias para pagamento. De Caçapava, RS, para Santana da Boa Vista, RS, 60 KM de distância.

O Correio enviou o boleto para Santa Maria, no centro do Estado, agência polo da região a qual pertence Caçapava. De lá foi para a Capital, Porto Alegre. E, dali, um longo passeio de quase 400 KM até Pelotas, no sul do Estado, onde está a outra agência polo, e dali mais 200 (aproximadamente) até Santana da Boa Vista.

Os aborrecimentos e prejuízos vocês podem imaginar.

Foram 6 dias úteis para percorrer metade do Estado. Ora, passados 15 anos, 17 dias para percorrer 6 KM. Não só não melhorou o serviço, como piorou, e muito. 

Se você acha que é caso isolado, digo que este é o quinto problema que acontece comigo, embora evite usar os serviços desta empresa (os outros ainda usam). Este ano, em Março, enviaram-me um computador, pelo Correio! "Sumiu" na agência central de origem. Detalhe: o Correio cobrou R$ 402,00 pelo "serviço" (sedex + valor declarado); a transportadora (o fornecedor enviou outro dias depois) cobrou R$ 29,90 (8,5 Kg de Curitiba a Roca Sales).

Tenho as notas fiscais para provar o que escrevi acima.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

A UNESCO decidiu implementar doutrinação LGBT para crianças

A UNESCO acaba de publicar um documento que estabelece mecanismos de doutrinação LGBT em todas as escolas do mundo, usando novamente como desculpa a violência e o bullying.


O informe fala em “homofobia” e “transfobia” nos colégios. Afirma também que a imposição de normas de vestimenta e de corte de cabelo supõem uma forma implícita de homofobia e transfobia”.


Veja alguns dados do informe:
  • 85% dos estudantes LGBT dos EUA sofrem violência e bullying.
  • 45% dos estudantes transgênero da Argentina abandonaram os estudos.
  • Os estudantes LGBT tiveram resultados acadêmicos ruins na Austrália, China, Dinamarca, El Salvador, Itália e Polônia.
Tudo isso de acordo com dados “pré-fabricados”, retirados de pesquisas feitas por organizações LGBT, como a ILGA (International lesbian, gay, bisexual, trans and intersex association). Até as fotos são cedidas pelo lobby gay de estudantes europeus.


O informe também promove a agenda de gênero.

O que o lobby LGBT propõe:


  • Uma educação “inclusiva e compreensiva” em relação às diferentes identidades sexuais e expressões de gênero “desde a mais tenra idade”.
  • Os conteúdos deverão ser livres de preconceitos e objetivos. Não poderão ser “inexatos nem estigmatizantes” e deverão ser transversais, ou seja, serão incluídos em todas as disciplinas.
  • A criação de uma campanha de sensibilização mundial e avaliará a evolução do programa.
  • Os países deverão incorporar essas propostas.
Mais uma vez podemos notar o caráter eufemístico do palavreado usado para apresentar o programa. Apesar de ser uma tática cada vez mais previsível, os revolucionários ainda precisam recorrer a ela, pois se não o fizerem ninguém lhes dará ouvidos. Precisam usar uma linguagem sentimentalista para tentar enganar as pessoas, pois o que querem realmente é doutrinar as crianças com uma “cosmovisão LGBT”.


O informe não menciona em nenhum momento o direito dos pais a educar seus filhos.

Adaptação de um texto enviado por Guilherme Ferreira.  Link: CitizenGO