quinta-feira, 31 de março de 2016

O Sedex foi um bom serviço...

Não é mais!

Tenho ouvido relatos de pessoas insatisfeitas com o serviço; atrasos e extravios são os mais constantes.

Eu tinha três razões para não mais usar estes serviços:

Primeira: em 2001 comprei duas peças para um cliente de uma indústria de Blumenau. A empresa não mandou o boleto com a mercadoria, mas para o Banco do Brasil, agência de Caçapava do Sul.

Santana da Boa Vista, onde eu estava, tem apenas 60 km de distância de Caçapava. Um pulo. Liguei para o banco, informaram que tinham enviado o boleto pelo Correio.

Seis dias depois chegou. Com prazo para pagar de cinco dias! Fui ao Correio e me explicaram que não houve demora! Caçapava pertence a central de Santa Maria (mais ou menos 200 km). Desta, seguiu para Porto Alegre e, de lá, para a central de Pelotas, a qual pertence a cidade onde estava.


Prejuízo.

Segunda: dois anos depois, morando em São Lourenço do Sul, menos de 300 km de Porto Alegre, comprei um processador no Mercado Livre, não disponível no mercado local. 

Por Sedex.

Acompanhei o objeto até Pelotas, onde ficou, inexplicavelmente, dois dias. E foi enviado para Jaguarão! Lá, devolveram no dia seguinte. Chegou em São Lourenço depois de 12 dias! O cliente já tinha desistido do serviço.

Detalhe: para ir para Pelotas passa, necessariamente, por São Lourenço.

Prejuízo.

Terceira: em 2010, morando em Barra do Ribeiro, apenas 56 km de Porto Alegre e, pertencendo a agência a central da Capital, achei que seria rápido. Ledo engano!

Fiz a encomenda numa sexta-feira e foi despachada no mesmo dia. Segunda à tarde, fui a agência. Fui na terça. Quarta enfrentei 25 minutos de fila na calçada, sob o sol de verão. Dentro da agência, reparei que tinha apenas dois funcionários: uma moça atendendo e um sujeito mexendo com papéis em outra sala. Porque não ajudava a moça? Acreditei que não o fez por não se importar. Tem estabilidade, é emprego público. Dane-se o cliente.

Desta vez tive sorte, o cliente entendeu.

Prometi NUNCA mais usar os serviços dos Correios.

Mas, a vida nos prega peças.

No início do mês adquiri um computador. Tudo acertado (numa sexta-feira), a remessa seria feita no mesmo dia. E foi.

Na segunda-feira recebi o número para rastrear o objeto. Tinham enviado pelo Correio!
O objeto CHEGOU na central

Impossível descrever o que senti.

Já tinha sido enviado, só restava esperar e torcer para que, desta vez, funcionasse. Mas... 

O fornecedor me disse: “na agência, garantiram entregar em cinco dias”!
(Como, se da agência postado à central foram dois dias úteis?, pensei)

Assim, no quinto dia útil (21/3) verifiquei:

O objeto NÃO SAIU da central de origem

Já ouviram falar em pressentimento?

Dia 23/3/2016 fiz contato por e-mail: eram 12 dias corridos, muito tempo para esperar.

Recebi o seguinte e-mail:

Dados de sua manifestação
Mensagem enviada por:
Para: Correios
Data: Quarta-feira, 23/03/2016
Observações descritas pelo Cliente: Código de Registro: DJ509498595BR
CPF ou CNPJ:
Nome Completo do Remetente:
Tipo de Objeto: Sedex mercadoria
Motivo da Solicitação: Destinatário não recebeu a correspondência
Embalagem: caixa
Cliente possui contrato
Nome do Destinatário: Valmor Goulart
Aviso de Recebimento: 0
Dados para restituição dos preços postais pagos e indenização **
BANCO - Nome: Código**: **
AGÊNCIA - Código: Conta**:20
Conteúdo: Computador
Mensagem ou observações:
O prazo para resposta às manifestações é de até 5 (cinco) dias úteis. Caso haja necessidade de análise mais detalhada do caso, o prazo para resposta poderá ser dilatado.

Atenciosamente, Central de Atendimento dos Correios
Esta é uma mensagem automática, favor não respondê-la. Para mais informações e acompanhamento de sua manifestação, contate a Central de Atendimento dos Correios.
Caso necessite de um novo contato, registre uma nova manifestação, utilizando os seguintes canais:
Internet: www.correios.com.br
Fale com os Correios: Clique aqui
Central de Atendimento aos Clientes dos Correios
* 3003-0100 - Destinado a capitais, regiões metropolitanas e cidades sedes de DDD.
* 0800 725 0100 - Demais localidades brasileiras.

Nos dias que se seguiram, esta informação (da foto acima) era tudo que conseguia.

Esperei pacientemente os cinco dias úteis...

Ontem, 30/3/2016, não tendo recebido resposta, fiz novo contato:



A resposta:



Do dia 23/3/2016 até ontem são cinco dias úteis. Mais cinco? Até quando?



sábado, 26 de março de 2016

Teses sobre o poder

Poder, no sentido mais universal, é possibilidade de ação.


No sentido estrito que tem em política, é a possibilidade de determinar as ações alheias.


No sentido universal, o homem só tem três poderes: gerar, destruir, escolher. O primeiro é poder da riqueza, o segundo o poder da violência, o terceiro o poder do espírito.


O poder da riqueza tem como objeto os bens materiais, usando os corpos humanos e o espírito como meios e amoldando-se a eles como condições.


O poder da violência tem como objeto o corpo humano, usando a matéria e o espírito como meios e amoldando-se a eles como condições.


O poder do espírito exerce-se sobre o próprio espírito, usando os bens materiais e o corpo humano como meios e adaptando-se a eles como condições.


Cada poder exerce-se numa dupla direção: ativa e passiva. A direção ativa tende à unidade, à concentração, à velocidade crescente. A direção passiva tende à multiplicidade, à dispersão, à velocidade decrescente.


O poder ativo da riqueza reside nos donos do capital. Tende a concentrar a riqueza nas mãos de poucos, ao monopolismo, a buscar os meios de crescer cada vez mais rapidamente.


O poder passivo da riqueza reside nos trabalhadores. Tende a dividir a riqueza, ao socialismo, ao crescimento zero.


O poder ativo da violência reside na milícia. Tende a concentrar-se, à hierarquia vertical, à disciplina rígida, a instaurar a obediência automática que produz a máxima eficiência e rapidez.


A milícia é o fundamento do poder estatal, que se reduz, em última instância, à legitimidade do uso da violência.


O poder passivo da violência reside na justiça. Tende a dispersar-se, a nivelar o poder, a tudo resolver por livre acordo, a desacelerar a ação.


O poder ativo das idéias reside nos criadores de bens culturais. Tende a concentrar o poder, a submeter as ações de muitos às idéias de uns poucos, a acelerar a mudança, a romper os hábitos estabelecidos.


O poder passivo das idéias reside nos homens de religião. Tende a dispersar o poder, a nivelar o comportamento humano pela média dos valores tradicionais, a anular as diferenças entre homens notáveis e homens comuns, a estabilizar a ação social na rotina sacralizada.


Essa divisão compreende todas as castas: a casta sacerdotal divide-se em intelectualidade e clero; a casta nobre divide-se em nobreza de espada e nobreza de toga; a casta dos produtores divide-se em proprietários e trabalhadores.


As castas são funcionais e não têm necessariamente ocupantes fixos: os componentes da nobreza, destronados, podem compor uma casta capitalista ou uma intelectualidade. O trabalhador, em ascensão, pode ingressar na intelectualidade ou na nobreza. Massas inteiras podem ser deslocadas de uma função a outra. As funções permanecem fixas, os ocupantes ou permanecem ou mudam.


A chamada classe política não existe como unidade independente: é somente uma interface entre nobreza de espada e nobreza de toga. É aristocracia. Donde se conclui que a divisão dos três poderes, na teoria de Locke e Montesquieu, é puramente normativa e não está fundada na natureza das coisas. O poder executivo, em toda a crueza do seu poder absoluto, é a voz do Imperador, do chefe dos exércitos. Em todos os casos e circunstâncias, permanece distinto do judiciário, cuja existência é coextensiva com a de partes em litígio e que não pode ser absorvido na unidade simples da voz de comando. Isto é verdade mesmo quando as funções de chefe e juiz se unem numa só pessoa, pois permanecem distintas como o comando emitido de motu proprio permanece distinto da arbitragem entre partes. Não é concebível que o Executivo, como tal, absorva em si o Judiciário, de vez que toda iniciativa do primeiro provém dele mesmo, e a iniciativa de julgar só pode ter início após as demandas das partes. A absorção do Legislativo no Executivo, ao contrário, é não só possível como é fato, nos regimes totalitários, bem como é possível e fato, nos regimes parlamentaristas, a redução do Executivo a um braço do Legislativo, que neste caso é apenas um Executivo coletivo. Tudo isto mostra que poder militar e poder judiciário são essencialmente distintos, enquanto a distinção de Executivo e Legislativo é apenas um acidente determinado pela invenção humana.


As ideologias são expressões dos desejos das várias castas.


A estrutura de poder numa dada sociedade consiste na distribuição da hegemonia entre os três poderes, complicada pela disputa de poder não só entre os três poderes mas também no interior de cada uma das três castas.


Na revolução russa de 1917, a intelectualidade, apoiada nos trabalhadores e na milícia, toma o poder, assumindo instantaneamente as funções de nobreza e de clero. A nova nobreza, uma vez constituída, absorve as funções da casta capitalista, o que pôde fazer com facilidade porque já estavam parcialmente absorvidas pela nobreza do antigo regime, num capitalismo de Estado. O marxismo surge como obra de cultura, mas, quando a intelectualidade que o criou sobe ao poder e se transforma em clero, ele adquire a forma de religião.


Nos Estados Unidos, uma poderosa classe capitalista governa com o apoio do clero protestante, subjuga a nobreza, os trabalhadores e a intelectualidade. A intelectualidade e os trabalhadores, com o auxílio da nobreza de toga, contestam o poder. A intelectualidade, porém, conquista gradativamente o poder graças à inventividade técnica e ao domínio das informações, à medida que o capitalismo industrial cede lugar a um capitalismo de bens e serviços. Com a engenharia social, o poder centraliza-se, a eficiência do comando é aumentada, o Estado tende na direção socialdemocrática. Os capitalistas, sentindo-se alijados do poder, aliam-se aos trabalhadores e à milícia numa reação conservadora, dividindo a nobreza de toga.

Olavo de Carvalho

segunda-feira, 14 de março de 2016

Quanto custa a gasolina?

O que acontece com os brasileiros? Vibram com futebol, dançam no carnaval, assistem TV tranquilamente como se estivesse tudo bem. E, há muito nada está bem.
Deparei-me com a foto abaixo e me perguntei: quantas pessoas se deram conta deste absurdo?

Preço da gasolina em 1998

Na época da foto o barril de petróleo no mercado internacional custava 56 dólares. Hoje, custa 32 dólares. 
Quanto você paga pela gasolina hoje na sua cidade?
Você tem alguma ideia do que nossos governantes estão fazendo com o dinheiro obtido nesta brutal diferença?

O Grande Golpe de Março de 2016

Após as manifestações de ontem a classe política decidiu fazer o que sempre fez: ignorar o povo e legislar em causa própria!


Há um acordo entre todos os partidos para se SALVAREM : deixam a Dilma onde está, como figura decorativa e elegem um político, escolhido por eles (claro, por nós, nem pensar) para governar. 
Como o PT tem maioria (70 para 66 do PMDB) seria deste partido o escolhido. Poderia, até (pasmem!), ser o Lula.
Mas o que é ruim parece não ter limite: eles podem contar com o STF para "legitimar" este golpe!




Além de discutir novas alterações no rito do impeachment, o Supremo Tribunal Federal (STF) deverá discutir, na semana que vem, a mudança no sistema de governo do país para o parlamentarismo. Uma ação sobre o assunto está pautada para a próxima quarta-feira (16).

Na sessão, os ministros deverão analisar primeiro recurso apresentado pela Câmara contra decisão de dezembro que anulou atos do processo contra a presidente Dilma Rousseff.

Após esse julgamento, o presidente da Corte, Ricardo Lewandowski, pautou uma ação de 1997, apresentada pelo então deputado federal Jaques Wagner (PT-BA), atual ministro da Casa Civil, que visa impedir que o Congresso possa abolir o atual sistema presidencialista de governo.

Na época, Wagner e outros parlamentares do PT acionaram o STF para barrar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) proposta pelo também ex-deputado Eduardo Jorge (PT-SP) que instituía o 
parlamentarismo, sistema pelo qual o governo fica sob o comando do primeiro-ministro, líder de um partido majoritário na Câmara.

Segundo o G1, o objetivo desta reunião é encontrar uma saída para a atual crise política.
Salvam-se todos os políticos e f***-se o povo!

Nome do golpe? Parlamentarismo!

Com base em informações do G1.

sábado, 5 de março de 2016

Nós, o povo

"Somos nós, o povo, que dizemos ao governo o que fazer, e não o contrário. Nós, o povo, somos o motorista, e o governo é o carro e somos nós que decidimos para onde ele deve ir, por qual rua ou estrada e em que velocidade. 
Quase todas as constituições do mundo são documentos nos quais o Estado diz aos seus cidadãos quais são seus privilégios. Nossa Constituição é um documento pelo qual nós, o povo, dizemos ao governo aquilo que lhe é permitido fazer. 
Nós, o povo, somos livres.
Espero ter, uma vez mais, recordado às pessoas que o homem não é livre a não ser que o governo seja limitado".   Ronald Reagan


video

O "nada" poderoso chefão

"A Lava Jato mostrou que o esquema identificado na Petrobras era mais amplo e partidário, gerido a partir da cúpula do Executivo e do PT, que tinha como um de seus líderes José Dirceu e que continuou a existir mesmo após este ser afastado por corrupção, o que mostra que alguém de igual ou superior hierarquia comandava o esquema: o elemento comum, detentor do poder de nomeação e beneficiado com o apoio político era particularmente Lula", MPF, pedindo a condução coercitiva do ex-presidente na Operação Alethea.



Está chegando a hora
http://www.oantagonista.com/pagina/1

sexta-feira, 4 de março de 2016

O sítio da herdeira da Andrade Gutierrez em Atibaia

O sítio da herdeira da Andrade Gutierrez em Atibaia


O Antagonista descobriu que Marília Andrade, herdeira da Andrade Gutierrez, comprou em fevereiro de 2015 um sítio com 124,5 mil m2 no condomínio Village Atibaia.
Marília pagou R$ 1,4 milhão pela área, que é colada ao sítio de Paulo Okamotto, o presidente do Instituto Lula.

Ela é muito próxima de Lurian, a filha de Lula com a enfermeira Mirian Cordeiro. Na década de noventa, a empresária hospedou Lurian em seu apartamento em Paris e até pagou uma cirurgia plástica para a jovem.

http://averdadequeamidianaomostra.blogspot.com.br/2012/11/a-filha-do-lula-tambem-ficou-rica-com.html


A filha do Lula também ficou RICA com dinheiro público

   
O grande larápio ataca até em Santa Catarina


Fundada pela filha de Lula, Lurian, a ONG "Rede 13 Santa Catarina", de Blumenau, 

recebeu mais de R$ 20 milhões, foi aberta em abril de 2003 e fechada em seguida, em 

agosto de 2003.

Usada apenas como fachada para pagar as contas de Lurian e... para comprar o seu magnífico apartamento em Florianópolis, o esquema operacional era coordenado por Eurides Mescolotto, que era Presidente do BESC e ex-marido de Ideli Salvatti (olha ela aí de novo).


Em Florianópolis, é comentário em todas as rodas, de que Lurian, anda cercada por um aparato de 20 pessoas e 8 automóveis, e que comprou o seu apartamento "com dinheiro do Fome Zero". 
Rindo de quem?

http://www.oantagonista.com/posts/exclusivo-tia-de-sandro-lula-tambem-tem-sitio

"Tia" de Sandro Lula também tem sítio em Atibaia

No processo de usucapião do sítio de Marília Andrade, "madrinha" de Lurian, está citado como imóvel confrontante outro sítio em nome de Leila Liuko Okamotto e sua filha Maria Cristina Okamotto Silva, parentes do presidente do Instituto Lula.
Vizinhos ouvidos por O Antagonista disseram que Okamotto "é quem manda" nas terras de Leila e de Marília. Em seu perfil no Facebook, Leila inclui em sua lista de familiares Sandro Luís Lula da Silva, outro filho do ex-presidente.
Sandro seria "sobrinho" de Leila Okamotto.

http://www.oantagonista.com/posts/a-reforma-no-apartamento-de-lulinha


A REFORMA NO APARTAMENTO DE LULINHA


Um dos itens da pauta de delação de José Carlos Bumlai será a milionária reforma do apartamento onde vivem Fábio Luís e Renata, em Moema, São Paulo.
O apartamento de R$ 7 milhões está registrado em nome de Jonas Suassuna, mas pertenceria a Lulinha. O casal até promoveu uma reforma total no imóvel, segundo informações preliminares.
Renata é ótima decoradora.